Novembro Azul: servidores e colaboradores do Sergipeprevidência participam de palestra sobre câncer

BANESE2
“Prova de Vida” no Banese.
11 de setembro de 2017
invlaidez
Quem tem direito a aposentadoria por invalidez?
27 de dezembro de 2017
Mostrar todos

Novembro Azul: servidores e colaboradores do Sergipeprevidência participam de palestra sobre câncer

1

Em alusão ao Novembro Azul (Mês de Prevenção ao Câncer de Próstata), servidores e colaboradores do Sergipeprevidência, apenas do sexo masculino, participaram na manhã de hoje, 30, de uma palestra especial intitulada: “Câncer: Mitos e Prevenção”, que foi proferida pelo Médico Oncologista e consultor de oncologia da Secretaria de Estado da Saúde (SES), William Giovanni Soares.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos e considerando ambos os sexos é o quarto tipo mais comum e o segundo mais incidente entre os homens. De acordo com o Dr. William, este ano, o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde estão fazendo uma campanha mais ampla, abordando a saúde do homem por completo. “Isso é extremamente importante, pois sabemos que cerca de 50% dos casos de câncer são causados por situações que podemos mudar, seja na alimentação, na prática de exercícios físicos e escolhendo hábitos mais saudáveis”, explicou o médico.

Segundo ele, a Sociedade Brasileira de Urologia prega que, a partir dos 50 anos de idade, o homem deve ter a iniciativa de procurar um médico para discutir questões da prevenção ao câncer de próstata. “Isto é muito individualizado. Há homens que precisarão fazer exames, sendo o médico o responsável de definir qual o tipo de exame o paciente deve fazer. O toque retal é um tabu muito grande, mas é um exame muito simples e rápido. Pode ser que seja necessário em alguns homens, mas isso vai depender da consulta médica”, ressaltou.

Ainda de acordo com Dr. William, os hábitos de vida, o histórico familiar e até a raça da pessoa ajudam ao profissional médico a identificar qual o exame mais adequado para cada paciente. “São levados em consideração os hábitos de vida da pessoa, o seu histórico familiar e temos também um fator à parte: a raça. Sabemos que pessoas negras possuem risco maior de câncer de próstata”, revelou.

 Interação – Os servidores e colaborados do instituto acompanharam atentamente a palestra e tiraram dúvidas, não só pertinentes ao câncer de próstata, mas também aos outros tipos. Eles questionaram quanto a fatores que podem levar ao surgimento da doença e elucidaram alguns mitos com o especialista.

De acordo com o Presidente do Sergipeprevidência, José Roberto de Lima, independente do câncer de próstata, o homem deve atentar mais para a sua saúde, transformando o cuidado em algo regular na sua vida. “O homem deve acabar com a mentalidade de que só precisa ir ao médico quando está realmente doente. O cuidado com a saúde não precisa ser só depois de a doença ser detectada, deve-se ter a consciência que a prevenção e a mudança de hábitos é que reduz a probabilidade de câncer, como também de outras doenças”, declarou.