whatsapp x

WhatsApp Number

5579991916274

Message

23 de abril de 2021, 12:35

Ações dos 15 anos do SergipePrevidência são destaque em sessão da Alese


Foto: Jadílson Simões/Alese

Dentro das comemorações dos 140 anos da Previdência Pública em Sergipe e dos 15 anos do SergipePrevidência, o diretor-presidente da instituição, José Roberto de Lima Andrade, apresentou, nesta quinta-feira (15), a Evolução e os Desafios da Previdência Pública, na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese). Na ocasião, o gestor expôs dados e informações da história do Instituto e da Previdência no Estado, e o planejamento organizacional para os próximos anos.

No pronunciamento, José Roberto relembrou a criação da lei precursora no Brasil, a qual instituiu, em 30 de março de 1881, o Montepio dos Funcionários Públicos da Província de Sergipe. Foi recordado o surgimento, em 2006, do Ipes Previdência, que desvinculou a instituição dos Serviços de Promoção e de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado e que, dois anos depois, se tornou o SergipePrevidência. 

“Falar sobre o SergipePrevidência é falar de um horizonte centenário. Nosso papel é gerir, proporcionar e garantir condições futuras de sustentabilidade financeira da Previdência Estadual. Falamos, aqui, da história, mas queremos, também, discutir projetos para o futuro”, reforçou José Roberto de Lima. Os Dados Demográficos dos Aposentados e Pensionistas somam mais de 34,5 mil, número que foi triplicado, ao longo dos 15 anos da instituição.

“Todos esses dados são atualizados, periodicamente, e publicados, em nosso site, como boletim mensal. Nosso intuito é tornar nosso trabalho o mais transparente possível, para os órgãos de controle e para a população em geral”, explicou. 

Desafios

Foram mencionados aspectos relacionados à arrecadação, despesas e déficit do SergipePrevidência. “Em 2020, pela primeira vez, conseguimos estabilizar o valor do déficit atuarial em R$ 86 bilhões, e a previsão é que os dados de 2021 apontem para um déficit atuarial de R$ 79 bilhões. Pela primeira vez, portanto, é observada a redução do déficit atuarial na Previdência do Estado”, destacou José Roberto.

Quanto aos próximos desafios, foi enfatizada a busca pela ampliação do nível da Certificação específica para os Regimes Próprios de Previdência Social (o Pró-Gestão), emitida pela Secretaria da Previdência Social, do Governo Federal. O SergipePrevidência obteve, em 2018, o Nível 1 desta certificação, tornando-se o terceiro RPPS do país a garantir tal título.

“A conquista do Nível 4 é nosso atual foco. Para isso, firmamos parceria com uma consultoria especializada, a qual está nos auxiliando na reorganização de uma série de novos compromissos e de novas rotinas, além da profissionalização de toda a estrutura institucional”, frisou.

Por ano, hoje, são cerca de 25 mil atendimentos aos aposentados e pensionistas. A ampliação desse número é resultado dos serviços virtuais, cuja disponibilidade foi intensificada em março de 2020, por conta da pandemia. “Atualmente, todos os nossos serviços, com exceção da Concessão de Pensão, são realizados e acompanhados virtualmente, por e-mail, site, aplicativo e telefone. Nossa previsão, inclusive, é de implementarmos a Prova de Vida virtual, quando ela voltar a funcionar. Queremos continuar próximos aos segurados, mesmo não estando presentes, fisicamente”, sintetizou o gestor.

“Queremos, antes de tudo, criar uma relação de proximidade e convivência com nossos aposentados e pensionistas, disponibilizando condições de vivenciar sua aposentadoria com plenitude”, finalizou José Roberto, agradecendo à Assembleia e aos parlamentares pela oportunidade.

Alese

Após o pronunciamento, o presidente da sessão, o deputado Luciano Pimentel, agradeceu a atenção e participação da equipe diretiva do SergipePrevidência. “Agradecemos ao presidente, Sr. José Roberto; ao diretor de Previdência, Sr. Gildo Xavier, e ao diretor administrativo e financeiro, Sr. José Normando Mota, pelas informações apresentadas e cujas participações são resultado do reconhecimento do trabalho e competência institucionais”, declarou.